Zão – Ao Vivo

Boa noite, Coliseu!
Dir-me-ão se não é uma situação tão caricata

É o fim, e a mim, estar assim, mal do rim, enfim

Quase mataMeu amor, é a dor deste choro de amor

Qual suor, desidrata

É um jeito no peito desfeito

Que contrafeito, aceito, gata

Aliás dir-me-ás se és capaz de ir atrás

Ver que estás sendo assaz insensata

Situação caricata como nó de gravata

Que não ata, nem desataNão me dão razão, mas eles não saberão vê-lo

Criticam, instigam e picam e ficam

Com dor de cotoveloZão-zão-zão quero ver-tе

Zão-zão-zão quero ter-te

Zão-zão-zão quеro dar-te

Zão-zão-zão obter-te